imagem de uma professora negra em sala de aula com um livri aberto nas mãos

Tem diferença de Professor e Pedagogo?

Tornar-se um professor ou um pedagogo tem sido escolha frequente de muitas pessoas que pensam iniciar uma graduação. Mas em meio a isso acaba por surgir uma dúvida que, acredite, não costuma ser de poucos: existe diferença entre essas profissões? E é exatamente com o intuito de responder de uma vez por todas esse questionamento que preparamos esse texto. Porém, de imediato já antecipamos que sim, apesar de algumas semelhanças, são muitas as diferenças.

O professor precisa, necessariamente, ter conhecimento a respeito do conteúdo que irá ensinar, da mesma forma que também precisa saber quais são as técnicas para que esse ensino aconteça de maneira eficiente, principalmente fazendo uso de métodos educacionais. Podemos exemplificar falando do professor de Matemática, que se formou e se preparou para lecionar essa disciplina específica, não possuindo, portanto, formação para trabalhar com outra área.

E o profissional formado em Pedagogia? Ele, apesar de também poder lecionar para turmas de anos iniciais do Ensino Fundamental e na Pré-Escola, tende a atuar preferencialmente em uma outra área da educação. Sua formação o prepara para o desenvolvimento e a aplicação de técnicas de ensino, uma vez que trata-se da ciência que faz utilização de estratégias educacionais para crianças e adolescentes, e seu principal objetivo sempre será, portanto, o estudo da educação. O pedagogo pode ainda pautar sua atuação tendo influência em outras ciências como antropologia, filosofia, psicologia e sociologia.

 

Mercado de trabalho

Podemos afirmar que, em ambos os casos, o mercado de trabalho tanto para professores como para pedagogos é bastante generoso. Afinal de contas, são funções obrigatórias em qualquer instituição de ensino. Vamos começar falando então sobre o pedagogo, que pode atuar como professor ou auxiliar de sala nos anos iniciais do Ensino Fundamental e na Pré-Escola, passando por supervisor e orientador educacional, podendo ainda alcançar o cargo máximo que esse ramo pode oferecer, o de diretor.

Mas engana-se quem pensa que as oportunidades ficam limitadas apenas ao ambiente escolar. Muito pelo contrário! É possível ainda conseguir boas vagas atuando como pedagogo empresarial, pedagogo hospitalar, e até em indústrias de brinquedos e editoras, colaborando com a produção de materiais pedagógicos.

De acordo com recentes pesquisas, mais de 90% dos pedagogos estão empregados atualmente no Brasil, e isso se deve a ampla área de atuação existente para esses profissionais. E esses dados são, inclusive, muito responsáveis pelo fato de, nos últimos anos, o curso de Pedagogia EAD ser o primeiro colocado em número de novas matrículas na modalidade a distância.

Já os professores podem dar aulas, das disciplinas nas quais obtiverem formação, para turmas de Educação Básica, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Em contrapartida, a exemplo dos pedagogos, a área de atuação não fica limitada apenas às salas de aula, é possível ainda que trabalhem com editoração, revisão de textos, correção de produções textuais, na comunicação de empresas, isso para citar apenas algumas opções.

É importante destacar que, em ambos os casos, além das oportunidades oferecidas nas escolas particulares, ou em outras áreas pela iniciativa privada, tanto os graduados em Pedagogia a distância quanto os professores também encontram muitas oportunidades de trabalho no funcionalismo público. Inclusive, são inúmeros os casos de pessoas que optam por ingressar nessas faculdades já com o objetivo de buscar uma vaga através de concursos.

 

Qual curso escolher?

Agora vamos detalhar como é uma faculdade de Pedagogia EAD e, para exemplificarmos uma voltada especificamente a formar professores, vamos focar na faculdade de Letras/Português a distância, mas claro, devem ser guardadas as devidas proporções para as demais áreas de formação.

O curso de Pedagogia tem duração mínima de quatro anos ou, se falarmos em carga horária, 3.200 horas, divididas em oito semestres. Durante esse período o aluno verá, entre outras, as seguintes disciplinas: História da Educação; Filosofia da Educação; Sociologia da Educação; Psicologia da Educação; Antropologia da Educação; Didática; Educação e Ludicidade; Organização Didática da Educação Básica; Currículo e Planejamento da Educação Básica; Fundamentos da Ação Pedagógica; Alfabetização e Letramento; Transversalidade na Educação; Metodologia do Ensino; Pedagogia em Espaços Não-Escolares; Gestão Educacional; Orientação e Supervisão Educacional; e Empreendedorismo na Educação.

O curso de Letras/Português tem exatamente as mesmas características em relação à carga horária, sendo portanto, 3.200 horas, ou quatro anos, também diluídos em oito semestres. Entre as disciplinas a serem aprendidas nesse tempo, podemos citar: Prática Textual em Língua Portuguesa; Libras – Língua Brasileira de Sinais; Teoria da Literatura; Políticas Educacionais e Organização da Educação Básica; Didática; Educação e Ludicidade; Fundamentos da Educação Especial e Inclusiva; Fonética e Fonologia; Introdução à Linguística; Estudos Morfossintáticos; Literatura Infantil; Fundamentos Teóricos e Práticos do Ensino de Língua Portuguesa; Alfabetização e Letramento; Literatura Infantojuvenil; Estilística e Semântica; Gestão Educacional; Oficina de Produção e Revisão de Textos; entre outras.

É importante destacar ainda que, em ambos os casos, o aluno também precisará realizar Atividades Complementares, Atividades Formativas e Atividades Integradoras, o Estágio Supervisionado, e o Trabalho de Conclusão de Curso, também conhecido como TCC.

Esperamos ter conseguido neste post contar tudo sobre Pedagogia e também sobre a atuação dos professores, esclarecendo portanto as principais diferenças entre elas. E seja qual for sua escolha, acredite, ela será a melhor possível e irá refletir na vida de todas as pessoas com as quais cruzar durante sua carreira.

imagem de vários dados e gráficos com pesoas ao fundo

O que é marketing de performance?

O marketing de performance é um aliado de empresas que buscam melhores resultados em estratégias de marketing digital, gerando o crescimento esperado.

Ainda não conhece essa alternativa? Então, continue a leitura e saiba o que é marketing de performance e como ele pode auxiliar sua empresa.

 

Marketing de performance: o que é?

O marketing de performance é uma estratégia de marketing digital focada em resultados, buscando atingi-los por meio da análise de dados.

Neste caso, faz-se uma análise detalhada de dados, conseguindo verificar em tempo real o desempenho de campanhas, com a possibilidade de ajustá-las ou direcionar melhor os recursos para atingir os objetivos previamente estabelecidos.

As métricas e ferramentas de monitoramento são fundamentais no marketing de performance, porque possibilitam realizar o acompanhamento de cada campanha, aumentando as chances de ter um ROI (Retorno sobre o Investimento) mais expressivo.

 

Principais métricas do marketing de performance

As métricas são indicadores utilizados para medir e acompanhar o desempenho de campanhas de marketing, conseguindo visualizar claramente resultados e identificar gargalos, podendo corrigi-los para evitar prejuízos.

Quais são as métricas do marketing de performance, exatamente? Existem várias que a empresa pode adotar, tudo dependerá da campanha que está realizando. Mas, há algumas que são recorrentes e devem entrar em seu planejamento:

 

Impressões

A métrica de impressões indica quantas vezes um anúncio foi exibido para o público, considerando o número total de exibições. Um detalhe importante: o número de impressões não corresponde à quantidade de pessoas que visualizaram o anúncio.

O motivo disso é simples: um mesmo anúncio pode ser exibido para a mesma pessoa mais de uma vez. Por isso, o número de impressões será, sempre, o total de exibições.

 

Cliques

Corresponde à taxa de cliques no anúncio, métrica muito utilizada para medir a efetividade de uma campanha. Por exemplo, ter uma taxa alta de impressão não quer dizer que a efetividade de um anúncio seja boa.

O ideal é que as taxas de impressão e de cliques sejam altas, o que indica que o anúncio está adequado e realmente desperta o interessante do consumidor a ponto de clicar para obter mais informações.

 

Leads

Trata-se de uma métrica que mede o número de leads gerados a partir de uma ação específica. Este indicador deve ser analisado para saber se a comunicação da campanha é efetiva, gerando o retorno esperado.

 

Engajamento

A métrica de engajamento costuma ser mais utilizada em campanhas em redes sociais, verificando como foi a interação com determinadas publicações, com base em cliques, compartilhamentos, likes e comentários.

Embora seja amplamente analisada em campanhas em redes sociais, a métrica de engajamento também é uma aliada em campanhas no Google Ads, com identificação de número de visitas em página, medindo a interação com o conteúdo.

 

Vendas

A métrica de vendas mede se o investimento em marketing digital realmente é convertido em novos negócios para a empresa, verificando se há o resultado esperado.

 

Benefícios do marketing de performance

Mas, afinal, por que sua empresa deve investir no marketing de performance? A resposta é simples: ele traz benefícios que valem muito a pena! A seguir, apresentamos os principais:

 

Monitoramento e análise em tempo real

O marketing de performance possibilita que a equipe de marketing monitore e analise dados em tempo real, podendo identificar rapidamente a eficiência de uma ação ou gargalos que precisam ser eliminados.

Isso permite que a equipe tome decisões rápidas e assertivas, o que máxima a chance de conseguir os objetivos previamente estabelecidos.

 

Correção de campanhas rapidamente

Ao mensurar resultados em tempo real, a equipe de marketing consegue realizar correções de campanhas rapidamente, de modo a aumentar a taxa de impressões e cliques, possibilitando atingir objetivos.

 

Visualização de resultados

Como toda campanha com foco em marketing de performance é feita com base em análise de dados, dá para visualizar resultados de maneira mais clara, seja pela equipe de marketing ou pelo próprio cliente.

 

Informações para desenvolvimento de outras campanhas

O constante monitoramento de métricas possibilita fornecer à empresa informações importantes para o desenvolvimento de outras campanhas, podendo aprimorar anúncios e direcionar melhor recursos e esforços para trazer objetivos definidos.

 

Redução da chance de prejuízo

Com os dados sendo monitorados em real time, há a possibilidade de realizar ajustes em campanhas e evitar prejuízos, de modo a compensar o investimento em marketing digital.

 

Marketing de performance: como implementar?

A implementação do marketing de performance deve ser feita por meio de um planejamento que envolve as seguintes etapas:

  • Definição de objetivos, o que maximizará a chance de sucesso, uma vez que poderá focar a atuação para buscar o que a empresa deseja;
  • Estabelecimento de métricas, o que permitirá acompanhar em tempo real a ação;
  • Escolha de canais de atuação, considerando a persona da marca para identificar onde os potenciais clientes estão;
  • Definição do budget, com divisão de valores em cada ação;
  • Mensuração de resultados regularmente.

 

Precisa de suporte na implementação? Neste caso, contrate uma agência de marketing de performance!